domingo, 23 de abril de 2017

UM ADEUS - Walter Santos se despede

Foto/Divulgação
NOTA 

Ao longo de 32 anos me dediquei a política em meu município e sendo bastante ativo na política estadual, ocupando cargo público ou não. Nunca me escondi, nunca me acovardei, sempre fui homem de linha de frente, dizendo o que penso, como gostaria que fosse feito e combatendo, o que no meu juízo de valor considerava injustiça contra o nosso povo.

Aqui em Coroatá, ajudei a derrubar oligarquias, denunciei crimes políticos e econômicos praticados contra o município. Busquei investimentos, fiz projetos, conquistas que estão pela cidade toda. Enquanto acreditava na política como instrumento de mudança da sociedade eu fui a luta, nunca fui um covarde.

Por ser autêntico, consegui fazer uma divisão clara entre os que me odiavam e os que (em defesa dos seus próprios interesses) me amavam.

Lamento o dualismo e a polarização entre os ruins e os mais ruins que tomou conta da política. A sociedade é muito maior que isso, mas infelizmente a falta de opções perpétua o poder daqueles que usam o poder em benefício próprio.

Comunico a todos que saio da política, saio dos embates e vou me dedicar ao que nunca deveria ter deixado de lado que são minha vida acadêmica, minha família, minha neta, minha saúde e minha individualidade.

A política partidária me tirou o tempo de vida que Deus me deu, me tirou o sossego, me tirou a capacidade de crescer intelectualmente e tirou minha liberdade. A política me fez conquistar inimigos gratuitos e "amigos" do poder que depois que o poder se vai eles somem juntos.

Saio da política pela porta da frente, sem nenhum processo contra mim, sem nenhum desvio de conduta, sem nenhum mal-feito ou prejuízo contra o erário público, a não ser aqueles factoides criados vergonhosamente pelos meus adversários para desconstruir minha imagem e da minha família, mas que busquei e ganhei na justiça um a um, nos inúmeros processos de calúnia e difamação que movi contra essas pessoas.

Saio com a cabeça erguida pra me dedicar a mim, minha neta e minha família, com a consciência do dever cumprido e a certeza que o mundo político não é meu lugar. Continuarei a mesma pessoa, mas agora desprovido que quaisquer interesse politico-partidário, sendo apenas eu mesmo.

Claro que as pessoas são livres para continuarem gostando ou me odiando, não há problema nenhum nisso e faz parte da individualidade de cada um, não entrarei nesse mérito e não farei nada para ninguém mudar de opinião ao meu respeito. Como disse, a partir de agora a minha luta é para o meu espaço familiar e individual e não voltarei a esse tema.

Abraços, Walter Santos