quarta-feira, 8 de março de 2017

MULHER DESPRESTIGIADA - Corte de mais de 60% no orçamento da Secretaria da Mulher sob crítica do deputado Wellington

Foto/Divulgação
Ao fazer referência ao Dia Internacional da Mulher, comemorado hoje (8), o deputado estadual Wellington do Curso (PP) defendeu dois Projetos de Lei de sua autoria que beneficiam as mulheres maranhenses. São propostas que, se aprovadas, implicarão no combate à violência obstetrícia e, ainda, na remoção da agente de segurança pública (policiais civis/ militares e bombeiras) durante o período de gestação ou de aleitamento materno.

Wellington disse que a violência obstetrícia tem feito vítimas em todo o Maranhão. Defendeu que a mulher, no momento do parto, deve ser protegida e quaisquer atos de maus tratos devem ser combatidos.

Foi proposto que o deslocamento das agentes de segurança pública durante o período de gestação ou de aleitamento materno deve ser para unidade de trabalho mais próxima de sua residência.

CORTE DE VERBA

O deputado Wellington questionou a recente redução no orçamento 2016 do Governo do Estado, da Secretaria de Estado da Mulher. Foi dito que havia mais de nove milhões destinados à Secretaria da Mulher. Em 2017, segundo Wellington, houve uma redução significativa de 62,5%. O orçamento caiu para R$ 3.430.786,00 (três milhões quatrocentos e trinta mil e setecentos e oitenta e seis reais).

- Essa redução de 2/3 é questionável, já que a proteção à mulher ainda é deficiente em nosso Estado. Enquanto o orçamento da Secretaria da Mulher cai, o da Secretaria de Comunicação aumenta. Nós encaminhamos solicitação ao Governo de remanejamento, mas nada foi feito. Fizemos isso porque a população não entende, nem nós, o motivo pelo qual a Comunicação tem mais de 58 milhões. As mulheres de nosso Maranhão precisam de políticas públicas e não de propaganda - afirmou o progressista. Com informações da Assecom/Dep. Wellington do Curso