quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

AGORA VAI? - De grão em grão, um dia o Frango Americano chega, será?

Diretores da empresa Frango Americanos e o secretário Simplício Araújo (Foto: Mayara Rêgo)
Diretores da empresa Frango Americano estiveram reunidos nesta quarta-feira (22) com o secretário de Indústria e Comércio Simplício Araújo. Eles estavam ajustando os detalhes para a implantação do abatedouro de Coroatá. Duvida-se muito! Mas, sinceramente, espera-se, no entanto, que aconteça um milagre, que o Governo realmente esteja certo sobre o tido grande potencial e vocação natural de Coroatá para a produção de frangos, que tudo não passe de um ato meramente político.

A entrada de Coroatá em um corredor regional ainda é um sonho, que nem de longe se parece com o que se observa em Vargem Grande e Nina Rodrigues. Será que o povo coroataense pode mesmo apostar na propaganda de criação de uma série de empregos diretos e indiretos? Quando a estimativa da Frango Americano terá capacidade para abater as 30 mil aves/dia?

Cá pra nós, o povo está mais para duvidar também dos tidos investimentos do Governo do Estado realizados na cadeia da avicultura maranhense. Até agora, além do abatedouro, tem-se muitas promessas, como a de inaugurar neste semestre uma fábrica de ração em Vargem Grande.

O Governo pinta um cenário no setor da avicultura para tentar consolidar três corredores de produção de aves, transformando municípios vizinhos a Coroatá, Balsas e Porto Franco em expoentes do setor. Segundo fonte estatal, a projeção é que até 2018 sejam gerados 15 mil empregos com a avicultura no Maranhão.

Lembrem-se, comunistas! O povo de Coroatá já está escaldado com essas promessas, como aquela de 11 mil empregos em 2004 e de 15 mil em campanha recente dos Amovelar...