quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

PRESSÃO TOTAL - Professores de Coroatá querem logo Edital de Seletivo da Prefeitura

A crise econômica, que reflete duramente no mercado de trabalho local [dada à sua característica limitadíssima], é de assombrar mesmo e, óbvio, chega a ser imperiosa qualquer inquietação do Sindicato dos Professores do Ensino Municipal de Coroatá (SINPROEM) frente ao anunciado processo seletivo simplificado para contratação temporária de 1.500 funcionários. Apesar do peso político partidário quase sempre levar a melhor na composição desses quadros de servidores públicos, os sindicalistas agiram com prontidão. Solicitaram ao prefeito Amovelar Filho (PT) o Edital do certame aprovado pela Câmara Municipal.

A categoria de professores quer saber o quanto antes quando será publicado o Edital do Seletivo, contendo os critérios para participação, como período de inscrição, exigências para inscrição, áreas de habilitação necessárias, tempo de experiência, etc. O Município deve apontar a quantidade de vagas para cada área específica, salário, tempo do contrato, entre outras informações.

Lideranças manifestaram-se dizendo que todos querem participar, que ninguém irá ficar intimidado nem com o componente político que, para muitos, provavelmente, será imposto na análise de currículo e entrevista.

O prefeito parece estar acuado. Nenhuma nota oficial. Nada até mesmo sobre notícia da sanção premial do prefeito em relação ao Projeto de Lei 02/2017. Nada sobre a formação e devida reputação de Comissão Executiva, muito menos sobre Edital. O silêncio chega a ser um sinal que depõe contra a transparência e lisura do processo. Será que as chances dos "Jacarés" [adeptos do campo oposicionista] metem tanto medo assim? Os vereadores Jr. Buhatem (PMDB) e Reginaldo Jansen (PSC) ameaçam buscar a Justiça.