domingo, 11 de dezembro de 2016

É BALA! É BALA!

Flávio Dino até agora não deu conta da segurança pública. - Isso não é novidade para muita gente! Prometeu que resolveria tudo desde os seus primeiros dias de governo. Mudou alguma coisa? Hoje, na mudança de discurso, muitos seguidores dinitas insistem com a velha válvula de escape que não se pode mudar as coisas do dia para noite. Então, o povo vai ter de esperar a perpetuação dos "comunistas" no poder? Tudo terá de virar uma oligarquia? Até o tempo de se resolver tudo como prometido? Por isso sempre vem à tona o velho jargão - A voz do povo não pode calar!!! O certo, acredita-se, é que ninguém pode assistir inerte a atitude de dedicação e entrega do policial solitário à sua própria sorte, como aconteceu nas últimas horas em Coroatá.

Foi bala, muita bala... A cidade pareceu e continua como se fosse palco de Bang Bang. Um policial à paisana estava na eterna tentativa de captura do Sola, rapaz tido como marginal de alta periculosidade. Em grupos no WhatsApp disseram que o Sola empreendeu fuga no sentido bairro União. Foi dito que nem houve cobertura da Polícia Militar. Seria por falta de viaturas, combustível?...

Como se manifestou o professor e vereador eleito Reginaldo Jansen o Estado é o maior responsável pela negligência, por não não oferecer condições de trabalho ideais aos profissionais. - Só quem sofre é a população - frisou.

Outra internauta foi contundente, afirmando que o poder público está omisso. Disse que nem a Polícia tem mandado de prisão contra o Sola que está aterrorizando Coroatá. Será que o mandado está mofando na mesa do juiz?

FAMÍLIA EM PÂNICO - Na tentativa de assalto à família do vereador a Polícia de Flávio Dino não deu jeito. O irmão ligou para ele desesperado às 4h da manhã deste domingo. Havia um ladrão querendo entrar na sua casa. O serviço de chamada telefônica não funcionou.


------------------------------------------

COMENTÁRIO - Mas, na propaganda e na língua de Flávio Dino, tudo no seu governo é positivo, está resolvido. Falam de medidas estratégias "eficientes", de aquisição de equipamento bélico (considerado incipiente), de algumas viaturas e de concurso. Anunciam a redenção... São Mil e tantos soldados na rua, como se a inserção fosse de imediato. O objetivo seria ludibriar? Pelas estatísticas, na verdade, parece que o crime organizado vence o Estado. Mas isso já não é mais novidade para muita gente!