quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Sousa Neto prova que Flávio Dino perdeu o controle da violência no MA

Foto/Arquivo-Assecom Dep. S. Neto
- A segurança está agonizando no Maranhão. O governo Flávio Dino perdeu o controle da criminalidade e da violência em todo o Estado. Esse foi o tom do discurso do deputado estadual Sousa Neto (PROS), na sessão plenária na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (22). Ele apresentou dados do 10º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, produzido pelo Fórum Nacional de Segurança Pública, que comprovam O DESCASO DO GOVERNO COMUNISTA COM A SEGURANÇA PÚBLICA.

O parlamentar falou sobre mortes em série ocorridas na noite da última sexta-feira (18), em Imperatriz. Segundo Neto, A SSP divulgou que foram 7 homicídios. Fala-se em 12, em poucas horas. Na grande ilha, foram 6 até o domingo, 20. Com destaque para o assassinato de uma grávida na porta da Delegacia do Maiobão. Uma adolescente de 17 anos foi queimada e esquartejada na região do Itaqui-Bacanga, e o delegado da área só soube por meio da imprensa.

Sousa Neto cobrou as promessas feitas por Flávio Dino de acabar a violência no Estado, a valorização dos policiais, investimentos no reaparelhamento da segurança. O deputado destacou o baixo efetivo policial e a ausência de diálogo do Poder Executivo com os profissionais da Segurança. A Polícia Militar do Maranhão, como disse Neto, possui um dos piores efetivos do Brasil proporcional ao número de habitantes, de 01 PM para cada 881 habitantes. A média nacional é de 01 agente para cada 473. Foi dito que o MA é o terceiro estado do País e da Região Nordeste que mais teve assassinato de policiais militares e civis nos últimos dois anos, com 52 mortes.

Neto salientou ainda que a frota está sucateada, as instalações das unidades estão caindo aos pedaços e que as viaturas que estão sendo entregues, foram compradas no governo Roseana, através de empréstimo do BNDES. Com informações da Assecom/ Dep. Sousa Neto

VEJA OS NÚMEROS DA FALÊNCIA DO GOVERNO NA ÁREA DA VIOLÊNCIA:
Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostram que violência, no Maranhão, aumenta