terça-feira, 29 de novembro de 2016

Orçamento para 2017 expõe desequilíbrio do Governo Flávio Dino

Foto: Nestor Bezerra/Assecom
Ontem, 28, a deputada Andrea Murad (PMDB) apresentou na Assembleia Legislativa (AL) uma série de contestações sobre o Projeto de Lei Orçamentária 2017 (PL 184/2016) do Governo. A parlamentar líder da Oposição mostrou quedas nos investimentos e as projeções de gastos que poderão intensificar a crise em áreas prioritárias para a população maranhense. Segundo a peemedebista, o governador Flávio Dino reduziu drasticamente os investimentos em relação à gestão anterior.

Andrea argumentou que em 2015, de acordo com dados da SEPLAN, foi autorizado o investimento na ordem de dois bilhões e setecentos milhões, sendo executado apenas novecentos e trinta e seis milhões. Andrea enfatizou que, em 2016, houve queda no volume de investimentos (um bilhão e oitocentos milhões) e que a projeção para 2017 será trezentos e trinta e sete milhões a menos do que o último ano da gestão anterior, 2014.

- É um governador que não sabe investir, é um governador que paralisa obra, sim, não paga fornecedores e isso é público e notório, porque diariamente recebo denúncias no meu gabinete sobre esse tipo de descaso. E essas quedas nos investimentos é só um dos pontos que percebemos na Lei Orçamentária e sobre o projeto que está em discussão nesta Casa - criticou a deputada.

Foi denunciado que no Orçamento de 2017 a Saúde ficará com um irrisório incremento de 4,15% e a Educação com 1,55%. Segundo Andrea, a situação piora para outras áreas onde os percentuais estão negativos como o Saneamento (-16,75%), Comércio e Serviços (-39,17%) e Desporto e Lazer (-28,98%). A peemedebista verificou, no entanto, aumento exagerado de 165% para o setor de Habitação. Para a líder da Oposição na AL, os dados demonstram um desequilíbrio no planejamento do Governo que podem atender interesses outros.

Também foi pontuado que a Secretaria de Comunicação e Articulação Política (Secap) irá receber aumento maior se comparado à Secretaria da Mulher. No Orçamento, Andrea observou ainda que, para o secretário Márcio Jerry, houve aumento de despesas de 16,46%. Mas, para a Secretaria de Estado da Mulher, houve queda absurda de 62%.

- Mas políticas para as mulheres também não são prioridade para o Governo Flávio Dino, que governa um Estado onde a violência contra a mulher é de grande preocupação. Somente em São Luís doze mulheres são violentadas diariamente. São três mil oitocentos e cinquenta e seis registros este ano. Inclusive esses dados foram abordados pelo Deputado Souza Neto aqui nesta Casa semana passada - discursou. Com informações da Assecom/Dep. A. Murad

LEIA MAIS SOBRE O ASSUNTO:
O discurso falido de Flávio Dino