quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Educadores em Coroatá aderem à greve nacional da categoria

Depois de Assembleia, as lideranças do Sindicato dos Professores do Ensino Municipal de Coroatá (SINPROEM) decidiram aderir à greve nacional dos trabalhadores em Educação. O movimento paredista está agendada para esta sexta-feira, dia 11, e segue mobilização da CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação.

O SINPROEM informa que está pautado na Lei 7.783. Justifica a decisão pois considera grave o cenário político brasileiro. Lança o argumento da contínua luta e contribuição da entidade à categoria. Como de praxe, as lideranças sindicais locais comunicaram oficialmente setores patronais.

A categoria, em Coroatá, também é contra a terceirização, a Lei da Mordaça, a PEC 241, o PLP 257, o PL 4567. Luta contra a reforma da Previdência e reforma do ensino médio. Combate a flexibilização do contrato de trabalho, a prevalência do negociado sobre o legislado e defende o piso salarial.

Eis o testemunho de que a entidade mantém com responsabilidade relação institucional amadurecida. O Blog observa a coexistência pacífica das partes sem prejuízo dos interesses dos educadores. Vale o crédito ao professor Reginal Cordeiro Jansen, presidente do SINPROEM, e direção sindical. Eis a fórmula natural e civilizada que na gestão dos Amovelar sucumbiu, inclusive com extinção da militância das instâncias sindicais.