terça-feira, 25 de outubro de 2016

ASSIM FOI EM COROATÁ - Caminhões de asfalto afrontam a dignidade da periferia…

Comboi de caminhões desfila asfalto nas comunidas, com as bandeirinhas do 12 penduradas,
num claro flagrante de crime eleitoral [Foto/Blog Marco Aurélio D'Eça]
Com as obras eleitoreiras meramente "compra votos", Edivaldo Junior e seu tutor Flávio Dino deixam uma mensagem clara: a de que podem manipular os cidadãos mais carentes de São Luís por que estes são totalmente vulneráveis, o que humilha as comunidades

by Marco Aurélio D'Eça/Editorial - A forma acintosa, criminosa, abusiva e covarde com que o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) tem invadido o bairros de São Luís nesta reta final de campanha, oferecendo apenas um pouco do que ele teve a oferecer em quatro anos de mandato, é uma afronta à dignidade da periferia de São Luís.

O recado que o prefeito manda às próprias comunidades é claríssimo: ele pode passar quatro anos sem trabalhar e ainda assim pode ganhar novo mandado; basta que faça o que está fazendo, carregando caçambas de asfalto em troca do voto desavisado.

E tudo nas barbas da Justiça Eleitoral inerte.

Com o gesto criminoso e indigno, Edivaldo ganha carta de seguro para passar mais quatro anos alheios aos anseios da população carente, indiferente às angústias sofridas também em 2013, 2014, 2015 e até em 2016.

Talvez por isso, ecos de dignidade são ouvidos diariamente na periferia e na zona rural abandonada e agora aliciada por obra de última hora, caça-votos criminoso a rondar os bairros, dia e noite.

Gritos como o da moça do São Cristovão, que ressoou a indignação dos moradores, obrigados a levantar bandeirinhas do 12 quando o asfalto estivesse passando. (Relembre aqui). Gritos como um senhor da Cidade Olímpica, que revoltou-se com a afronta da carreata do prefeito, que deu um zignal para não adentrar em sua rua poeirenta, que aguarda asfalto desde o início da gestão. (Releia aqui)

Ou como o jovem indignado do bairro Santa Cruz, que mostrou a péssima qualidade do asfalto compra-votos, jogado de qualquer jeito, na tentativa de convencer o eleitor a dar mais quatro ano de paralisia a Edivaldo. (Saiba mais aqui) A qualidade do asfalto é tão ruim que engoliu a máquina da própria prefeitura.

Máquina da prefeitura afunda na lama asfáltica jogada
apenas para garantir o voto de última hora
[Foto/Blog Marco Aurélio D'Eça]
É esta revolta popular que mostra o quanto Edivaldo se seu tutor Flávio Dino ferem a dignidade do povo achando que podem humilhá-lo com a com a compra de votos.

E este blog não cansa de repetir: Tudo nas barbas da Justiça Eleitoral inerte...