segunda-feira, 26 de setembro de 2016

O pior exemplo da história política do Maranhão – PARTE I

- A “MUDANÇA” VEIO, MAS PARA O PIOR! Esta frase, pecha atribuída ao (des)governo do “comunista” Flávio Dino,  que até já virou clichê e viralizou na Internet, faz jus mesmo ao modelo inoperante da atual Administração Estadual. A prova mais recente e reveladora da gestão mais desastrosa de toda história do Maranhão está no flagrante do BLOG, uma denúncia sobre a saúde da MA-020, a estrada Vargem Grande-Coroatá. Abaixo o pior exemplo de Poder Executivo de todos os tempos, o lastimável presente imposto ao povo maranhense, ao cidadão coroataense, da Macrorregião do Leste do Estado. É Coroatá nas mãos de quem prometeu a “Mudança”

Por CARLOS FILHO/COROATÁ - A MA-020, de 72 quilômetros de extensão, está literalmente entregue à sua própria sorte! O Governo esnoba os recursos públicos como nunca. Em que pese o grande volume de verbas utilizado pelos “comunistas”, a estrada vai ficando uma verdadeira “tábua de pirulito”, cheia de buracos e remendos “à meia sola”. E isso sem que o Governo tenha qualquer constrangimento, sem que haja qualquer controle de qualidade ou prestação de contas. Nem mesmo a imprensa “séria”, que nunca enxerga erro dos “comunistas”, ensaia algum movimento de grito da verdade, da liberdade de expressão. Nem mesmo os seguidores tupiniquins do Dinismo, aquele GRUPO G-10 de Coroatá, reclamam de nada. Estão tipo o bacurau...

Feito do Governo de Roseana Sarney, com incentivo incondicional do peemedebista Ricardo Murad e gestão política da prefeita Teresa Murad (PMDB), a estrada foi entregue à nova Administração com cerca de 95% de obra concluída. Em julho de 2014 estava assim: Veja AQUI. Ao término do governo, restou apenas pouco mais de 07 Km de pavimentação asfáltica. A não entrega da obra por Roseana se deu por conta de entraves de ordem externa atribuídos a entes operacionais contratados. A MA foi construída com recursos da ordem de R$ 32.112.854,65, divididos entre recursos do Governo do Estado e Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES).

Apesar de registros oficiais e de reportagens inúmeras, que marcam o feito da gestão anterior, Flávio Dino achou que a história era outra; que tudo não prestava; que tudo foi mal feito e mandou fazer “tudo direito”. Disponibilizou R$ 16 milhões para o patrocínio do estardalhaço midiático dos então “Balaios”; hoje, os ditos “Bacuraus”. Uma verba extraordinária, quase metade dos recursos de Roseana, quase igual ao volume empregado para a construção da rodovia original. – Muito dinheiro foi torrado, um exagero para o pouco que faltava fazer. A festa foi completa e o G-10 ficou bem afoito. Inclusive houve uma segunda inauguração da obra. [Texto com correção em 27.09.2016, às 11:42]

LEIA AQUI MAIS SOBRE A DENÚNCIA:
O pior exemplo da história política do Maranhão – PARTE II