quinta-feira, 29 de setembro de 2016

A PROVA DO CRIME - Flávio Dino arrebenta

Imagens: Reprodução/Facebook-R. Murad
Agora, mais do que nunca, está provado que o governador Flávio Dino joga "sujo" contra o processo eleitoral no município de Coroatá. Além do ataque à vice-prefeita Neuza Muniz, ao vereador, líder de Governo na Câmara Municipal, Riba Maia (PSC), das inúmeras ocorrências de rua envolvendo "tropas motorizadas" protegidas pelo Estado, eis que vaza na Internet outro caso grave de politização da Segurança Pública em favor do candidato oposicionista Luís Amovelar Filho (PT).

O empresário José Carlos, conhecido por Zé Carlos da Ferrama, foi flagrado em grupo de WhatsApp [Grupão do 13]. Ele, declaradamente, no comando de equipe da polícia do governador. Zé Carlos, em eventual necessidade da força, avisa a correligionários políticos sobre a referida proteção do Estado. Diz que está na "parte da fiscalização".

Para o peemedebista Ricardo Murad, o empresário, com a dita "fiscalização" que ele diz fazer nas ruas, representa o que a polícia de Flávio Dino está fazendo em Coroatá como parte do plano de ganhar a eleição na marra.

- Será que teremos que ter um cadáver aqui para que as autoridades tomem uma providência? Ontem, o vereador Riba Maia foi agredido na rua, sua casa ameaçada por uma gangue liderada pelo filho de Movelar, de nome Raoni, escoltado por policiais - alertou Murad. Na denúncia do peemedebista, em sua página no Facebook, está registrado que a polícia e o capitão Ricardo foram acionados pelo vereador. Riba teria sido orientado apenas a registrar um Boletim de Ocorrência.