quinta-feira, 2 de junho de 2016

Mais uma trapalhada inspirada no modo Dino de governar

Imagem: Reprodução/Facebook-R. Murad
Portal da Transparência da Assembleia Legislativa. Humberto Coutinho precisa ter cuidado para não se transformar em outro Waldir Maranhão

Por RICARDO MURAD - Decisão pertinente do juiz Douglas Martins sobre a transparência dos gastos e contratações na Assembleia Legislativa. E as despesas para garantir a transparência das informações não pode ser desculpa para o Poder Legislativo não disponibilizar os dados como defendeu de forma estapafúrdia a PGE. Ora, a Assembleia que conseguiu recursos milionários para construir, equipar e manter hoje a mega estrutura da Rádio e TV Assembleia, o que também é de extrema importância para que o povo acompanhe seus parlamentares, também tem a obrigação de exigir um crédito especial ao governador, já que como alega, não tem recursos ordinários previstos no seu orçamento para montar um portal da transparência completo e eficiente como exige a lei.

O Crédito Especial serve para isso. Tem destino certo, objeto específico e valor definido. A Assembleia solicita o crédito para o governador Flávio Dino - iniciativa tem que ser dele - para que a transparência dos atos do Poder Legislativo, que genuinamente representa o povo, possa ser disponibilizada para conhecimento público como determina a lei. E o Poder, que tem o dever de fiscalizar os demais, não pode dar mau exemplo.
Conheça o Centro de Estética, Fisioterapia e Nutrição AQUI
Tenho certeza que o juiz Douglas Martins não irá aceitar essa desculpa esfarrapada de que não há dinheiro, arranjada pela Procuradoria Geral do Estado, atendendo mais uma tese tresloucada de Flávio Dino, pois é ele que comanda a PGE. Disse outra tese tresloucada porque vocês se lembram daquela que ele bolou para Waldir Maranhão assinar. Até hoje o deputado não poder nem sair às ruas, ir à restaurantes, presidir sessão na câmara porque é hostilizado, sempre vaiado e impedido de ficar no locais.

Para gastar com jatinhos, diárias, hospedagens em BSB pra fazer política e contratar empresa de eventos por mais de hum milhão de reais para que a EMSERH, empresa de serviços hospitalares que eu criei para administrar a rede, não falta dinheiro. Flávio Dino pode e tem obrigação de mandar os R$ 3,5 milhões para a ASSEMBLEIA ter o seu portal de acordo com o que determina a lei e o povo espera.

LEIA MAIS:
Barbaridade, caos, caso de polícia e intervenção
A TRANSPARÊNCIA "COMUNISTA" - Deputados votam contra requerimento que convoca reitor da UEMA
Saúde estadual em estado de calamidade
Deputada Andrea Murad faz questionamentos à titular da SECID
Secretária de Cidades vai à Assembleia esclarecer sobre parentes de Waldir Maranhão
Aliados de Flávio Dino protegem Waldir Maranhão
Caos na Segurança - Boca fala, boca paga