quarta-feira, 8 de junho de 2016

Deputados buscam informações sobre as obras financiadas pelo BNDES no Maranhão

Quase que de forma unânime os deputados aprovaram requerimento do deputado Adriano Sarney (PV) que pede informações ao chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, sobre as obras financiadas pelo BNDES. Já é a segunda vez que deputados buscam informações sobre o andamento dos projetos. A primeira a solicitar foi a deputada Andrea Murad (PMDB) que, há 10 meses, oficiou na Casa Civil um pedido de esclarecimentos que até hoje não foi respondido. Na época, a parlamentar também entregou nas mãos do presidente da Assembleia, deputado Humberto Coutinho, um relatório completo das obras do BNDES no Estado. Em discurso nesta terça-feira (07), Andrea disse que espera uma resposta imediata do Governo.

Andrea Murad criticou ainda a ausência de dados durante a reunião com técnicos do BNDES no Rio de Janeiro e ressaltou um dos pontos questionados na área da saúde sobre hospitais prontos e que ainda não foram inaugurados, cuja justificativa foi o pedido de aditivos aos projetos pelo governo Flávio Dino.
Conheça o Centro de Estética, Fisioterapia e Nutrição AQUI
A deputada criticou a falta de informações do BNDES durante reunião realizada no Rio de Janeiro. - O fato é que aquela reunião onde os próprios técnicos não tinham absolutamente nenhum documento em mãos, nenhuma informação concreta, sem dados que a gente pudesse discutir ali, não fez o menor sentido. Tudo que se perguntava eles pediam que enviassem a pergunta por ofício. O fato é que os técnicos do BNDES, não sabe sequer que há sim obras prontas para inaugurar, equipadas e estão abandonadas - pontuou.

Segundo Andrea, os técnicos do BNDES, para justificar o atraso na inauguração de hospitais, disseram que o Governo pediu aditivos para todos os macrorregionais que eles não inauguraram, que estavam todos prontos, inclusive com equipamentos.

- Algo me intrigou nessa informação. O governo não achou que a Saúde gastou tanto e agora eles vão pedir mais aditivos? - discursou a deputada. Da: Assecom/Dep. Andrea Murad