terça-feira, 31 de maio de 2016

Saúde estadual em estado de calamidade

Imagem: Reprodução do Facebook/Ricardo Murad
Por RICARDO MURAD - Médicos, profissionais de saúde e funcionários com salários atrasados, fornecedores e prestadores de serviço sem receber, hospitais e upas sucateados, equipamentos e ar condicionados parados, desinfecções em unidades estratégicas paralisadas pelo desmonte das equipes, manutenção física ausente, engenharia clínica sem condições operacionais, falta de medicamentos e material médico hospitalar, falta crônica de medicamentos para tratamento de pacientes com câncer e doenças graves com a FEME desabastecida, falta de insumos para funcionamento do Hemomar, provocando colapso nos hospitais pela falta de sangue e outros hemoderivados, um crescente e incontrolável déficit mensal, tudo isso acrescido à falta de gestão em todo o sistema aponta para uma situação que coloca toda a população maranhense em risco de vida.

É preciso uma intervenção urgente das autoridades responsáveis pela saúde do nosso povo. Esse caos não pode continuar se agravando. Além de tudo isso, para agravar ainda mais esse estado de calamidade, Flávio Dino suspendeu o repasse de R$ 100 mil que garantia o funcionamento dos hospitais municipais, além de parar o programa de construção dos novos hospitais que deixamos.
Relembrem aqui o que fizemos e como deixamos a rede acessando o link.
Conheça o Centro de Estética, Fisioterapia e Nutrição AQUI