segunda-feira, 18 de abril de 2016

Retrato da ingovernabilidade

Imagem/reprodução Facebook-Ricardo Murad
DILMA SÓ CONSEGUIU 137 VOTOS DOS 513 DA CÂMARA FEDERAL. 367 DEPUTADOS DISSERAM NÃO A DILMA
Por RICARDO MURAD - A questão maior não é mais se o Senado dará ou não prosseguimento ao processo de impeachment da presidente. O resultado na Câmara decretou o fim do governo. Não há mais governo. 137 votos de um total de 513 falam por si só.

Ela prometeu muito para se eleger e jogou o país no caos. Economia destruída, mais de dez milhões de desempregados, empresas fechando numa crise como nenhuma outra na nossa história.

O Senado precisa dar continuidade ao processo para tirar o país da imobilidade que se instalará a partir de hoje com uma Câmara hostil, em pé de guerra, disposta a barrar qualquer iniciativa da presidente e à espera de uma posição favorável do Senado para a continuidade do processo de impedimento, conforme decisão de mais de 2/3 dos deputados.

Qualquer protelação ou decisão contrária do Senado, a anarquia e a ingovernabilidade transformará o país num caos de consequências inimagináveis. Portanto, o que se espera é o processamento no Senado do pedido de Impeachment com o afastamento da presidente Dilma e a posse de Temer, que deverá assumir e imediatamente dizer a que veio, mudando o modelo, chamando o Congresso e as forças vivas do país para um governo de união nacional, tendo a coragem de propor a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte, para fazer a reforma política, fiscal e previdenciária, única forma para restaurar a confiança e a credibilidade do governo para tirar a economia da recessão que está destruindo toda a nação.

A revolta da população também é hoje contra Temer, ele precisa ter consciência disso e se errar purgara como Dilma até ser retirado da presidência, ou pelo povo nas ruas, exigindo sua renúncia, ou pelo Congresso ou TSE - Tribunal Superior Eleitoral.
Conheça o Centro de Estética, Fisioterapia e Nutrição AQUI