segunda-feira, 28 de março de 2016

A dor como fruto do descaso…

Familiares de Ana Duarte no cemitério para seu enterro: como aceitar tal situação? E a situação [na BR 135] continua a mesma, não de hoje, mas de sempre, com decisões tomadas só na hora da pressão [Fotos: Blog Marco D'Eça]
by Marco Aurélio D'Eça - O enterro da professora Ana Duarte foi marcado pela dor da família, mas também por um dolorido sentimento de tudo poderia ser evitado. Bailarina, ativista cultural e artista, Ana morreu vítima de uma tentativa de assalto em plena BR-135, motivado pela falta de manutenção da rodovia, marcada por buracos em quase todo o trecho entre São Luís e Bacabeira.

À dor da família O DNIT respondeu com uma nota cínica. E o governo Flávio Dino (PCdoB) anunciou que vai recorrer à Justiça para fazer a obra que o governo Dilma Rousseff (PT) - que ele defende com unhas dentes - não faz. Mas só agora ele resolve fazer isso? Foi preciso uma morte como a de Ana Duarte para que o comunista tomasse a decisão?

A dor da família de Ana Duarte é insuperável para a família. Mas com ela também fica a dor de cada maranhense abandonado...

Veja post correlato:
À Ana Duarte, a amiga de todas as horas, paz e vida celestial eterna
Conheça o Centro de Estética, Fisioterapia e Nutrição AQUI