sábado, 20 de fevereiro de 2016

Procurador explica competência do Estado sobre segurança pública

Procurador Elias Moura Neto
[Foto: Blog CarlosFilho]
COLUNA PINGO NOS IS - Sobre o exacerbado desvio malicioso de conceito, o procurador geral do município de Coroatá Elias Moura Neto saiu em defesa do resgate do eixo central do que realmente é interesse legítimo da sociedade no aspecto da necessária atenção à segurança pública. Como exímio conhecedor das leis, o procurador viu-se na incondicional obrigação de contribuir com o debate, afirmando a urgência na massificação do correto esclarecimento sobre a competência elementar do Estado no setor.

- Para quem não sabe ou finge não saber, para se beneficiar com a dor dos outros: SEGURANÇA PÚBLICA É OBRIGAÇÃO DO ESTADO, A SUA PROMOÇÃO E GARANTIA. A INTEGRIDADE E A VIDA DAS PESSOAS CABE AO GOVERNO DO ESTADO. Portanto, meus amigos, não falem besteiras usando o povo assustado como massa de manobra. Ansioso pela providência do Governo Estadual, advertiu Elias Moura.

Em contraponto, o procurador explicou ainda que o papel de Guarda Municipal é fazer o resguardo e conservação do patrimônio do município e as ações do poder executivo.

SEGURANÇA PÚBLICA UM CASO DE POLÍTICA EM COROATÁ

Para o procurador, o povo está vivendo em Coroatá um clima de guerra. Segundo ele, o caos está instalado, com os cidadãos coagidos e apreensivos em sair nas ruas. De fato, as ações das polícias apontam para o auto índice de roubos, furtos, assassinatos, à luz do dia. Como enfatiza Elias Moura, o bandido, a qualquer sinal de reação, mata inescrupulosamente.

- E isso só acontece porque estão tratando nossa segurança como se fosse questão política e não de polícia. Atentem para isso meus amigos, pois perdemos mais um jovem, um profissional, um futuro prejudicado para nossa Coroatá. Quantos ainda terão que morrer para abrirem os olhos a que estão fazendo para o futuro dos nossos próprios filhos?, concluiu Elias.

LEIA MAIS SOBRE OS FATOS QUE MOTIVARAM A REAÇÃO DO POVO: