sábado, 20 de fevereiro de 2016

Oposição de Coroatá joga a "toalha". O vereador Riba Maia conta como foi isso...

Vereador Riba Maia [Foto/Arquivo]
Bem na linha do que fez o procurador geral do município de Coroatá, Elias Moura Neto, o líder de Governo na Câmara, o vereador Riba Maia (PSC), resumiu com exatidão o discurso político imprescindível à população e, finalmente, a Oposição deu o braço a torcer, admitindo falhas clamorosas no Sistema de Segurança Pública. Jogaram a "toalha" de que o tido (Des)Governo de Flávio Dino sucumbiu ao deixar o povo maranhense por inteiro vulnerável ao inimaginável selvagem regime de violência. Resta agora apenas apontarem o único responsável pelo desastre, o chefão mor.

Sem argumento lógico e em desespero último, os oposicionistas, intrinsecamente ligados ao Grupo G10 seguidor do "comunismo", jogam equivocadamente contra a própria reputação, em claro pré-julgamento da inteligência do próprio eleitor, quando se expõem inventando o frágil argumento de retorno do serviço inconstitucional imposto à Guarda Municipal nas Guaritas.

Riba Maia, em entrevista a este Blog, acusou o golpe que caiu sobre a Oposição. Ratificou que os seguidores de Flávio Dino reconhecem a falta de um maior contingente de segurança, de delegacia digna, equipamentos bélicos adequados, estrutura de apoio logístico e viaturas novas para Coroatá. Responsabilizou o governador do Estado pelo caos vivido em Coroatá. Criticou a posição de Flávio Dino que enviou viaturas e policiais para outros municípios deixando Coroatá desassistida.

- E tudo se deve, claro, pela perseguição diabólica a Ricardo Murad que foi eleito o inimigo número um do governador, ficando o povo refém desse ódio... Foi preciso que se perdesse uma ano de administração, que vidas fossem ceifadas para que finalmente viesse a primeira reunião da Superintendência de Articulação Política da Regional Cocais com o comando maior da Segurança....

O vereador lembrou a pertinente diferença registrada sobre as duas Administrações. Disse que no Governo de Roseana, com apoio de Ricardo Murad, veio viaturas novas, armamentos, munições, uniformes, o novo Quartel foi construído, a Corporação passou à condição de Companhia Independente, a reforma da nova Depol foi iniciada, um presídio foi edificado para facilitar o processo de ressocialização dos apenados que passaram a ficar próximos de suas famílias....

VEJA NO VÍDEO A ENTREVISTA COMPLETA:

LEIA MAIS SOBRE SEGURANÇA PÚBLICA: