quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

DO FUNDO DO BAÚ - Quem sabe fazer uma Educação melhor?

DO FUNDO DO BAÚ - É fato de domínio público que, depois do bem sucedido processo de matrículas, formação de gestores e Semana Pedagógica, a Rede Municipal de Ensino, em tempo hábil, conseguira quebrar a cultura do atraso, quebrou o paradigma da volta às aulas somente após o Carnaval ou no mês de março. Abriu o ano letivo em fevereiro, dia 25, contrariando aquele velho costume, a prática nociva aos estudantes imposta na gestão anterior. A meta da prefeita Teresa Murad (PMDB) foi posta para seguir o estabelecido pela Legislação de 200 dias letivos, com 800 horas aulas/ano. Como já se manifestou o secretário de Educação Raimundo Josias Silva, a Administração, antecipadamente, executa o diagnóstico sobre o desenvolvimento do corpo discente em relação ao nível exigido, visando a qualificação do aprendizado com o apoio do Centro de Educação Integral (CEI). Dados apontam que, em 2015, foi restaurado o nível de conhecimento de 520 alunos. Na Rede, segundo Josias, o Município busca garantir as condições dignas para o nivelamento das oportunidades a todos indistintamente.

A qualificação da estrutura física do ambiente de ensino também já ficou para trás. O Governo desde o início estabeleceu engenharia padrão nas unidades escolares, algo que nem se compara com os malfadados anos da Administração dos tidos comunistas maranhenses, liderados pelo chefão Flávio Dino, e os seus seguidores. Nas fotos abaixo, o choque de realidades entre a turma do Chefão Dino e os tempos atuais...
Administração dos tidos comunistas, seguidores e Grupo G10 [Fotos/Arquivo do Blog]
Administração de Teresa Murad [Fotos/Arquivo PMC]

VEJA UM EXEMPLO DE COMO ERA A EDUCAÇÃO EM COROATÁ:
DENÚNCIA: Escolas da Zona Rural em Coroatá correm o risco de desabar