sábado, 27 de fevereiro de 2016

As armações ilimitadas da Máfia do Jaleco Branco nas barbas de Flávio Dino

Arte/Do Blog
COLUNA DOSSIÊ COMPLETO/POR CARLOS FILHO – A imoralidade, o cabide de emprego, as infinitas lambanças do grupo político local defensor do Governo Estadual, fatos denunciados aqui, nesta coluna, no último dia 25, envolvendo a enfermeira Tássia Lanne Vasconcelos Conceição da Silva, filha da coordenadora de Enfermagem do hospital Macrorregional de Coroatá, Tatiana Vasconcelos, e do vereador tucano Cássio Conceição, ganham caminhos inimagináveis contra robusto volume de documentos que, irreversivelmente, não poderão ser adulterados. A “MÁFIA DO JALECO BRANCO” e o PCdoB tremem na base e, em desespero total, colocam o terror em ambiente de seus colaboradores com a onda impositiva de demissões indiscriminadas e ilegais permitidas por Flávio Dino. Administradores locais viajam aflitos para São Luís tentando ajeitar o "caldo derramado". A direção recebe visitas pouco comuns. É um frisson, adrenalina pura!!!

Saiba detalhes da primeira denúncia:
Vaza Caixa Preta - Documentos provam ilícito contra filha do vereador Cássio Conceição

LEIA TUDO SOBRE A MÁFIA DO JALECO BRANCO AQUI: Dossiê Completo

Logo depois da denúncia da enfermeira apadrinha, a primeira cabeça que rolou foi a do chefe do Setor de Limpeza do Macrorregional, conhecido por Bismarck. Dos bastidores que cercam os servidores, tem-se a informação de que a direção do hospital alegou motivos fúteis. A estória passa por simples disputa de domínio político entre os seus maiores "caciques", entre o PCdoB e o pré-candidato Domingos Alberto (PSB). Na enxurrada macabra, já foram demitidos o administrador Císio Janus, ex-diretor Administrativo Francisco Godô Brandão, o ex-administrador hospitalar do Instituto Corpore, Alberto Américo, etc. Mas, todas essas estórias, que envolveram essas demissões, serão esclarecidas aqui nesta coluna em breve. A verdade virá à tona!!! Está sendo apurada...

Fiosioterapeuta Rejane Reis
Foto/Arquivo do Blog
A limpeza "ideológica" dos "comunistas" passou também pela demissão de uma das mais qualificadas fisioterapeutas do Município, a então funcionária da UPA-Coroatá Rejane C. dos Reis (foto ao lado). A demissão imotivada ocorreu sob a "justificativa" mais furada possível e em período ilegal, proibido, no qual os administradores poderão responder judicialmente. Outra lambança que mela a Administração estadual, o grupo G10 local seguidor de Flávio Dino. A UPA virou um lixo e o Macrorregional nem se fala (Saiba como nos link abaixo); mas, quem paga o "pato" são os colaboradores. Espera-se que seja o menos provável o fato de a fisioterapeuta ter sido casada com o jornalista Carlos Filho, editor desta coluna.

Veja denúncias correlatas:
FLAGRANTE - Olha o que o Grupo G10 e Flávio Dino fazem com a UPA de Coroatá
Flávio Dino, Pacheco e Grupo G10 de Coroatá levam Saúde do Maranhão para o buraco
Olha o que acontece com quem cuida de vida humana
A MUDANÇA DE FLÁVIO DINO: Pacientes ficam no chão em Coroatá
Ricardo Murad denuncia matança em UTI de hospital do Estado
Mortes no Hospital Macrorregional de Coroatá sāo investigadas
Mais provas firmam covardia de Flávio Dino
Outra morte misteriosa dentro do Macrorregional de Coroatá. A vítima, outra criança...
Flávio Dino abra o olho: Assédio sexual campeia no Macrorregional de Coroatá