sábado, 3 de dezembro de 2016

Comissão federal registra in loco incompetência de Flávio Dino

Foto: Nestor Bezerra/Assecom Dep. A. Murad
E, para quem não gosta da deputada estadual Andrea Murad (PMDB), vai aí mais uma notícia indigesta. A peemedebista não dá "mole" para os "comunistas". O governador Flávio Dino teve de engolir visita fiscalizadora da Câmara dos Deputados às obras do Governo financiadas pelo BNDES. Andrea acompanhando os trabalhos de instância federal viu dados da comissão de visita que apontam para um péssimo conceito da Administração. O Maranhão virou uma vergonha nacional. Com informações da Assecom/A. Murad.

Os deputados federais Hildo Rocha, Valternir Pereira, o assessor da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara de Deputados, José de Melo, e a deputada Andrea passaram por Imperatriz onde vistoriaram a Estrada do Arroz, a Unidade de Segurança Comunitária e o Hospital Regional Materno Infantil. Foram constatados a não conclusão de 14 km de estrada, o desvio de finalidade da USC e a falta da reforma na maternidade de Imperatriz.

Em Chapadinha, o Hospital da região ainda se encontra fechado, praticamente da mesma forma que a gestão anterior deixou há dois anos sem qualquer iniciativa do governo Flávio Dino. Lá também ficou constatado que a obra do Centro de Hemodiálise não continuou, ficando os pré-moldados ao relento, se desgastando e com indícios de furto.

Em São Luís, novos descasos, como o Farol da Educação Gonçalves Dias no Filipinho ainda esperando a reforma, cujos recursos estão garantidos, e a duplicação da Av. Dos Holandeses no trecho Araçagy, obra atrasada e alterada no governo Flávio Dino. Todas as informações coletadas in loco estão no relatório final que será entregue ao presidente da Câmara e a todos os deputados para que sejam tomadas as providências. Acompanhe abaixo registros fotográficos de: Nestor Bezerra/Assecom Dep. A. Murad.

LEIA MAIS SOBRE O ASSUNTO:
DINO DESUMANO - Lodo, fungo, goteiras, canos expostos e muito mais em hospital no Maranhão







DINO DESUMANO - Lodo, fungo, goteiras, canos expostos e muito mais em hospital no Maranhão

Foto: Nestor Bezerra/Assecom Dep. A. Murad
Por ANDREA MURAD - Hoje estive visitando alguns municípios acompanhando a comitiva federal em vistoria às obras financiadas pelo BNDES. Mas uma em especial me chamou muita atenção e antes que minha assessoria faça as postagens dessas visitas de hoje quero compartilhar com vocês o que vi no hospital Regional Materno Infantil de Imperatriz administrado pelo governo do estado.

SAIBA MAIS SOBRE O ASSUNTO:
Comissão federal registra in loco incompetência de Flávio Dino

Antes de ser deputada, membro da comissão de saúde da Assembleia, eu sou mulher e sou mãe. Me senti agredida por todas as mulheres que precisam ter seus filhos naquele lugar, por não terem condições de ter em outro. Por isso, antes mesmo que eu fosse obter informações da tão esperada reforma que possui recursos garantidos do BNDES, quis saber se existia explicações para aquele lugar está do jeito que está. Se existe justificativa para aquilo, para a falta de manutenção da unidade que há dois anos não recebe a atenção do governo, que sequer se dão ao trabalho de manter limpa.

Lodo, fungo, goteiras, canos expostos, onde tem os armários, acreditem, é a recepção do hospital. A sala de esterilização funciona como depósito de macas quebradas. A todo instante fui abordada por pacientes reclamando da estrutura. Realmente aquilo partia meu coração porque isso é submeter as pessoas a algo desumano. As mulheres, que já ficam tão sensíveis nesse momento, vão ter seus filhos em meio a sujeira, sem a menor higiene, podendo ela ou o filho adquirir uma bactéria para nunca mais. Lamentei muito pelas dezenas de mulheres que vi ali terem que vivenciar aquilo, lamentei pelas crianças que mereciam cuidado de quem é para cuidar das pessoas.

E o que dizer da falta de um ambiente limpo, bem estruturado, que dê ânimo, disposição e prazer da equipe médica hospitalar poder executar suas funções com excelência. Por isso que digo que esse governador não tem noção do que o povo passa, do que o povo pena no seu governo. Ninguém merece um ambiente tão degradante, insalubre.

Mas a saúde do povo pra ele não importa, basta ver quantos hospitais semi prontos, com recursos assegurados, muitos com equipamentos já comprados na gestão anterior e ele sequer inaugurou. Basta ver o que ele fez com as upas, com os hospitais, basta ver a peça orçamentária do ano que vem para constatar a importância que ele dá para a saúde do povo.

Eu jamais irei achar algo assim natural. Para mim ele é desumano e cruel. Mais do que nunca o povo precisa protestar contra esse caos da gestão Flávio Dino que só vem fazendo mal aos maranhenses, neste caso específico à população de Imperatriz.
---------------------------
Foto: Nestor Bezerra
Assecom Dep. A. Murad
ANDREA MURAD - É deputada estadual do PMDB

Maranhão avança com Roseana. Saúde com Ricardo Murad garante selo UNICEF

Arquivo/Divulgação
Por IDALGO LACERDA - Avanços na saúde e ganhos na melhoria da qualidade de vida, através das políticas públicas de inclusão social empreendidas no Governo Roseana fazem com que relatório do Fundo das Nações Unidas - UNICEF - garanta Selo de Certificação ao Maranhão. Houve diminuição da mortalidade infantil e índices satisfatórios no quesito Educação.

O binômio Saúde e IDH (Qualidade de Vida) nunca estiveram entre si numa verdadeira e perfeita relação simbiótica harmônica no período 2011/2014, durante o então Governo Roseana Sarney (PMDB). Quando o povo maranhense recebeu de forma direta diversas políticas benéficas levadas aos mais longínquos rincões do Estado, onde programas sociais passaram a resgatar e salvar vidas que dantes eram privilégios de poucos, infortúnios de muitos e que daquela época em diante o homem do campo e da zona urbana começou a ser assistido pelos Programas Viva Saúde, Viva Água, Viva Luz, Viva Leite, Viva Primeiro Emprego, ora eliminando uma série de vetores sociais, o que também motivou a erradicar a miséria absoluta dando lugar a uma vida mais justa, digna e decente para todos os maranhenses, ampliando e gerando uma expectativa para um futuro melhor.

Para o UNICEF chegar ao Selo de Certificação, atribuído ao ex-governo de Roseana Sarney, cerca de 148 municípios maranhenses de um total de 217 foram avaliados pelo Fundo e apresentaram um salto na qualidade de vida e ganhos altamente significativos. Se comparados os números da média nacional, quando o Estado do Maranhão diminuiu a mortalidade infantil que era de 7%, alcançado o índice de 5,2% que é a média do país inteiro naquele mesmo período.

O TRABALHO E CONTRIBUIÇÃO DE RICARDO MURAD

Para o acesso ao pré-natal, por exemplo, contou-se com o trabalho e esforço ardoroso do então secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad. A meta era aumentar a taxa do referido exame e que subiu para 32,7%. Ou seja, uma média de crescimento com mais de 25 pontos acima da media do resto do país. Quer dizer, naquela época morreram menos crianças se comparadas as estatísticas com os números apontados a partir de 01 de janeiro de 2015 para cá. O quesito saúde, com a ampliação, reforma e construção de novos hospitais, maternidades e clínicas somou bastante para uma combinação de resultados positivos, elevando o IDH do povo maranhense.

Implica dizer que, o número de pré-natais garantiu um maior número de nascidos vivos de gestantes. Com sete ou mais consultas. De 28,1% de consultas realizadas que subiu para 37,3%. O que aumentou assim, o número de crianças com certidão de nascimento antes de completar 1 ano de vida. Isto é, dos 4% de crianças registradas com vida contra o número de 1,1% apontado em todo o Brasil.

Na Educação também houve considerável melhora. No período de 2011/2014, o UNICEF apontou que algumas distorções existentes nas idades-séries nos municípios analisados, o percentual caiu para 9,2%. Enquanto que, na grande maioria das demais cidades brasileiras amostraram um índice de 7,9%.

Vale ressaltar que o município de Coroatá também contribuiu de forma positiva para que essa média fosse obtida. A administração da prefeita Teresa Murad (PMDB) fez parte de todas as ações empreendidas na Saúde, Educação e na melhoria da qualidade de vida.